Tel/Whats: (48) 9 9999-0541

Buscar
  • Graziela S. Teixeira

Sol em Libra


Hoje, 23 de setembro, o Sol ingressou no signo de Libra ou Balança, sétimo signo zodiacal que está relacionado aos assuntos da Casa 7 e também aos assuntos do planeta Vênus.


Os 12 arquétipos, ou padrões astrológicos contam a jornada da consciência humana e suas fases de aprendizado e desenvolvimento. Cada signo é importante e único nesta jornada e a ordem cósmica em que estão posicionados sugere também uma ordem psíquica. Podemos não saber o nosso mapa astral e ainda sim refletir sobre cada uma destas fases de evolução de consciência e fazer uma autoanálise honesta de como experimentamos e as expressamos em nossa vida prática. A medida que vamos ganhando consciência sobre estes padrões podemos assumir o protagonismo e lugar de coautor de nossas próprias vidas.


Em Libra iniciamos a segunda metade do caminho evolutivo da consciência.

Lembrando que em Áries, signo impulsivo e corajoso de fogo, iniciamos a grande jornada, seguido de Touro estabilizamos e damos sustentação às iniciativas e ao Eu; em Gêmeos socializamos, aprendemos, coletamos e trocamos dados/informações; em Câncer estabelecemos vínculos íntimos de pertencimento e lidamos com o campo emocional; em Leão aprendemos a ocupar o nosso lugar em nós e no mundo nos individualizando, nos capacitando; em Virgem nos preparamos para nos relacionar com uma outra pessoa através de um processo de autoanálise e autocrítica para chegarmos em Libra, o grande encontro com o outro.


A fase Libra da jornada é relacionada aos encontros, aos relacionamentos e parcerias. Onde saímos da posição de ser ÍMPAR (Áries- o Eu) e viramos PAR (Libra- o Nós).

A partir desta fase do jogo da vida somos convidados a nos relacionar com a sociedade e começamos através do que consideramos o “outro”. Aprendemos que nem tudo é do nosso jeito e ritmo. O outro tem outros desejos, outros ritmos e outros interesses. Somos convidados a desenvolver as habilidades de escuta, a estética das relações sociais, a diplomacia, a elegância que tem a ver em como nos comportamos diante desse outro. Aqui não é palco de impor nossas verdades com violência e força. Neste campo, a prerrogativa é do outro. Falamos nossa opinião mas queremos genuinamente escutar a do outro, para chegarmos num acordo. Esta é a arte libriana. Sendo gentis, cultivamos nos outros a vontade de retribuir nossos gestos de gentileza. E gentileza gera gentileza.


Verifique no seu mapa astrológico o eixo de Áries-Libra e Casas 1 e 7. Se tem uma concentração de planetas ou nodos lunares ali posicionados (principalmente por casas), estes assuntos ganharão importância na sua vida. Se você tem Sol em Libra este é um aprendizado para sua jornada de desenvolvimento. Se tem a Lua ou Nodos Lunares, esta temática pode ocupar um lugar de destaque em sua vida. Sites gratuitos: astro.com, astrolink.com.br, personare.com.br .



ELEMENTO AR

Signos do elemento AR são: Gêmeos, Libra e Aquário.

AR está relacionado às atividades mentais, intelectuais, o mundo das ideias e aos processos de relacionamentos, sejam eles sociais ou amorosos. Estes signos são os responsáveis pela nossa troca com as outras pessoas, a escuta e a interação, desde os irmãos e parentes mais próximos, passando pelas parcerias e sociedades, até uma rede maior de amigos e a coletividade.

Vale lembrar que somos seres essencialmente sociais, por isso os signos de ar no nosso mapa são tão importantes para nos percebermos nas relações.

Em EXCESSO deste elemento pode proporcionar dependência das relações/outro, de reconhecimento, excesso de sociabilidade com perda da noção de individualidade, agitação mental, chegando ao ponto de exaustão física e psíquica. Também pode ocorrer de ficarmos demasiado no mundo das idéias podendo não chegar a materializar as coisas na vida prática.

Na FALTA pode gerar dificuldades em relacionamentos, falta de sociabilização, isolamento, a falta interesse em ouvir, aprender e avaliar outras possibilidades diferentes do nosso ponto de vista.



RITMO CARDINAL

Signos Cardinais estão associados aos inícios das estações do ano. Eles têm a força e o impulso para iniciar uma nova etapa, uma nova estação. São eles: Áries, Câncer, Libra e Capricórnio - um de cada elemento, um de cada estação do ano e marcam as épocas em que ocorrem os Solstícios e Equinócios. Libra representa o equinócio de outono (simbologia do hemisfério norte) e equinócio da primavera no hemisfério sul.

Como um signo cardinal Libra dá o impulso para ser "par", encontrar com o outro e formar relacionamentos e parcerias.


VÊNUS, planeta regente de LIBRA e TOURO

Libra e Vênus estão relacionadas à casa 7 e diz respeito aos relacionamentos que buscamos e atraímos para nossas vidas. O signo, planetas que você tem na sua casa 7 e o regente da 7 vão lhe contar os detalhes.

Mas antes de falar de Libra vale lembrar que Vênus também rege Touro, o segundo signo do zodíaco, a segunda etapa da jornada da consciência que é associado à satisfação de nossas necessidades básicas/essenciais, à sobrevivência na matéria e aos nossos valores. Nesta etapa é que sedimentamos e sustentamos de forma autônoma o Eu, a nossa identidade, amamos quem somos, o que produzimos e o que encontramos de recursos e ferramentas dentro de nós, como uma riqueza interior.


Depois de construída esta base em Touro seguimos as demais etapas da jornada da consciência humana que formam a base do desenvolvimento pessoal (de Áries até Virgem), para enfim alcançarmos a sétima fase, a casa 7, o arquétipo de Libra, quando encontramos alguém com quem queremos nos comprometer, seja num casamento ou numa sociedade.

Se cumprimos bem a tarefa da segunda etapa de Touro/Casa 2 (do auto-amor e auto-valor), chegamos de forma segura e cheia de riquezas internas para ofertar no palco das parcerias e estabelecer bons contratos, acordos e reciprocidade. A relação tende a ser equilibrada e os acordos bom para ambas as partes, pois cada um chega cheio de recursos para colocar no relacionamento, cada um chega para somar.

A idéia é que cada um possa suprir suas próprias necessidades essenciais na etapa Touro/Casa 2 para evitar as projeções, ou seja, buscar fora ou em alguém aquilo que nos falta.

Tendemos a projetar no outro e esperar que os relacionamentos nos dêem tudo aquilo que não conseguimos suprir por nós mesmos. Então, ao invés de chegarmos com recursos para colocar na relação, chegamos com um buraco esperando que seja preenchido pelo outro. Claro que gera problemas nas relações, que se tornam desequilibradas no dar e receber ,e com tendência a manipulações, co-dependência, e potencial de gerar relações tóxicas (ou no mínimo insatisfatórias).

As relações de parceria nos mostram como nos relacionamos intimamente com a gente mesmo e como satisfazemos (ou não) nossas próprias necessidades essenciais.

Faça uma pausa, reflita sobre os padrões dos seus relacionamentos (atual e anteriores). Escreva num papel como se sente nos relacionamentos: “Ele/Ela me trata assim/assado”. Veja todas as suas insatisfações a respeito do relacionamento. “Ele/ela faz (ou deixa de fazer) isso, aquilo”; Agora volte nas suas anotações e no lugar onde está escrito Ele/Ela substitua por “Eu” e verá que esta é a forma como você se relaciona consigo mesma. A a segunda fase Touro/casa 2 (auto-valor) nos conta como nos tratamos, como nos amamos e nos cuidamos, sendo esta a base que será projetada nas relações de casa 7/fase Libra.

Nenhum elogio que venha de alguém, independente de quem seja e o quão verdadeiro seja, será suficientemente capaz de satisfazer-nos plenamente.

Por isso que quando alguém nos diz: “nossa como você está bonita/o ou isso que você fez é lindo!, como você é inteligente” não adianta muito para a pessoa que recebe se ela mesmo não se achar inteligente, bonita ou que faz algo belo. Tudo isso para dizer que o verdadeiro valor nasce de dentro.

É na 2º fase de Touro que desenvolvemos o valor sobre quem somos, reconhecemos nossos dons, talentos, recursos e encontramos ferramentas internas para produzir o que quisermos. É aqui que aprendemos que temos valor. Quem valoriza a si mesmo e o que faz, sabe atribuir valor aos produtos que fabrica ou aos serviços que oferece como trabalho e o resultado é o desenvolvimento saudável da área financeira.



EIXO LIBRA-ÁRIES

Na ordem natural do zodíaco, Libra é o segundo signo de Ar depois de Gêmeos e antes de Aquário. Estamos no meio da jornada, buscando o equilíbrio entre o eu/sujeito e o outro/objeto da nossa apreciação, aprendendo a escutar e nos abrir para algo totalmente diferente de nós, a perceber outros estilos de vida, reconhecer e legitimar suas identidades, valores e necessidades próprias.

Na fase anterior de Gêmeos aprendemos a sociabilizar e a fazer trocas com pessoas conhecidas, despertamos a curiosidade e o interesse pelo novo.

Damos um passo a mais em direção ao aprendizado humano que é reconhecer no outro sua legitimidade em ser sujeito independente, com suas vontades e desejos particulares.

Libra ensina a lição de amar o diferente, para que possamos alcançar o aprendizado do último dos signos de AR - Aquário - e o amor pela humanidade.

Ao nos relacionarmos aprendemos sobre o Amor e a também a correr o risco de ser ou não amada/o. É preciso de uma certa coragem (Marte-Áries) para se lançar no amor (Vênus-Libra). Em Libra/Casa 7 somos convidados a aprender a compartilhar, a dividir, a somar, a escutar, a ceder, conceder, estabelecer acordos e desenvolver o compromisso com o outro. Não à toa, Saturno o planeta do compromisso fica exaltado em Libra/Casa 7, o palco das parcerias, casamentos e sociedades. É preciso desenvolver o respeito não só por nós mesmos (Áries-Eu) mas também o compromisso pelo outro e pelo “nós” dentro dos contratos de parceria.


O desafio:

Movidos pelo desejo de sermos amados por este outro/a podemos abrir mão de quem somos ou do que nos é essencial, de nossas vontades próprias e desejos. Vamos nos anulando, deixando de ser nós mesmos com medo de desagradar ao outro, ou de não sermos amado pelo outro. O máximo da distorção é nos perder neste universo do outro, perder nossa identidade e subjetividade.

Com medo de não sermos amados perdemos a coragem de ser quem somos diante do outro/a.

Quantos de nós já ouvimos o comentário de que fulano/a não é mais ela/e quando está namorando ou depois de casado/a?

Enquanto Áries pensa no Eu, Libra, que é seu oposto-complementar, pensa como “nós”. Quando nesse “nós” falta algum dos parceiros (alguém que ficou com medo de ser quem é), a relação não se sustenta. Ninguém passa ileso por longos períodos de anulação de si.

Encontrar o “caminho do meio” entre o eu, o outro e o nós é sempre um desafio neste eixo de Libra-Áries.

A casa 7/Libra é palco da alteridade. Uma das coisas que mais fascina o ser humano (e que também gera medo) é o contraste com o “outro”. Relacionamentos são grandes mestres para desenvolvermos a consciência sobre quem de fato somos.

Sábios nos ensinam que o desenvolvimento da consciência se dá no contraste.

Atração e repulsão são dois lados da mesma moeda, amor e ódio andam juntos. Por isso a sétima casa também descreve os inimigos declarados. Quando vemos alguém “exótico”, com comportamentos e hábitos diferentes dos nossos, que vem de outro clã/família de origem/ancestralidade/raízes reservamos para ele/a o lugar de “outro” que pode tanto ser ameaçador ou atrativo aos nossos olhos. Podemos ter vontade de dominar (Marte-Áries) para encobrir um medo ou de compartilhar e conviver harmonicamente (Vênus-Libra).


Aqui a lição é aprendermos a falar “com” e não falar “sobre” o outro. Geralmente olhamos o outro como se fosse sempre o objeto de nossas análises, dúvidas, crises etc, mas nunca como sujeitos. Se olharmos o “outro” sempre como “objetos” de nosso interesse, corremos o risco de desumanizar este outro e portanto torna-se objeto de opressão. Foi assim na escravidão, é assim que funciona em qualquer relação de opressão.


Precisamos aprender a ver todos os seres como sujeitos, assim como nos vemos. "Amai os outros como a si mesmo". Aprender com eles, experimentando ver a vida e o mundo através de uma outra perspectiva, a partir de um outro local. A partir do olhar do outro, podemos realmente sair da nossa visão única de mundo e aprender o valor do amor.

Por isso Libra também fala da balança da Justiça, aquela que considera todos os outros como iguais. Ser justo é aplicar a imparcialidade para reconhecer a dignidade e a identidade de outro sujeito, que tem todo direito de ser diferente de mim, ser ouvido e respeitado em sua subjetividade.

Lembrando que nós também somos o “outro” dos outros. Quem é o sujeito afinal de contas?

Depende do ponto de vista de quem observa, depende do lugar de onde se fala, depende da perspectiva que se olha. Por isso justiça e imparcialidade andam de mãos dadas.


Que a primavera renove em nós a esperança de um mundo em que estabelecemos relacionamentos mais amorosos uns com os outros trazendo a perspectiva de que ao dividir quem somos e o que temos com outra pessoa é na realidade somar.


Parabéns à tod@s librian@s que deixam a nossa vida mais harmônica, mais bela e mais justa.


Beijos com carinho

Grazi


#astrologia #libra #signos #signo #zodiaco #solemlibra #equinocio #primavera

215 visualizações